Médico de São Paulo vai além do consultório e trata de moradores de rua

Em 21 de março de 2019 a Record Tv realizou uma matéria com o Oficial da PM e Neurologista Mário Vicente Campos Guimarães, que faz a diferença no mundo.

Com o apoio de alunos e alguns colegas, Mário criou a ONG ”Médicos de Rua”, onde constantemente sai as ruas e atende a população carente.

Vale a pena assistir aqui
Oficial da PM fazendo a diferença! Parabéns!

TDAH – CLASSIFICAÇÕES

Os três tipos do Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade.

O Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade pode ser dividido em diferentes graus. Estes são classificados de acordo com os prejuízos que a pessoa demonstra. No TDAH, a gravidade é dada de acordo com a quantidade de danos que o indivíduo tem na vida.

De acordo com o Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais, o distúrbio pode ser classificada em três tipos:

1 – TDAH com predomínio de sintomas de desatenção.

2 – TDAH com predomínio de sintomas de hiperatividade/impulsividade.

3 – TDAH combinado entre os dois.

O procedimento para controlar o transtorno vai se dar conforme os sintomas de falta de atenção ou de hiperatividade ficam cada vez mais intensos. Os tratamentos produzem melhora substancial na qualidade de vida do indivíduo. Consistem na associação de medicamentos estimulantes com psicoterapia (terapia cognitivo-comportamental). Vale lembrar a controvérsia na prescrição do medicamento metilfenidato (Ritalina) para crianças com o déficit de atenção e hiperatividade. Além de dependência, podem ocorrer danos colaterais como insônia, ansiedade, perda de peso e arritmias cardíacas.

O Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) pode ser, ou ter sido, o motivo daquela nota baixa na escola. Por outro lado, se não for diagnosticado corretamente e tratado, pode trazer diversos prejuízos para a vida tanto de crianças quanto de adultos.

O que é o TDAH?

Sabe-se, pelo próprio nome, que as características principais do TDAH são a falta de atenção e a impulsividade. Porém, muitas vezes, esse distúrbio pode ser, assim como seus sintomas, diagnosticado no impulso.

Por possuir sintomas similares a outros transtornos mentais, como a depressão e a síndrome do pânico, é importante um diagnóstico correto do distúrbio. Além disso, esses sintomas costumam interferir na realização adequada de atividades escolares, época da vida em que a atenção das crianças é mais exigida.

O TDAH, assim como outros distúrbios, possui fatores neurológicos determinantes para seu desenvolvimento. O circuito meso-límbico, assim como o córtex pré-frontal (relacionados com concentração, organização e planejamento) são afetados no transtorno. Os principais neurotransmissores envolvidos são dopamina e noradrenalina, que ficam reduzidos em portadores deste distúrbio.

Existem outras condições hereditárias-genéticas que favorecem o TDAH, como crianças prematuras(com menos de 37 semanas) e com baixo peso ao nascer. Além disso, a exposição materna a álcool, tabaco ou drogas no período gestacional é mais suscetível a ocasionar o transtorno. Há uma relação semelhante com lesões traumáticas cranianas de repetição durante a infância.

Muito se questiona sobre a cura dos transtornos mentais. Porém, “cura” pode não ser a palavra correta quando se fala em distúrbios. Isso, no entanto, não quer dizer que está tudo acabado. O mais recomendado por profissionais é sempre buscar melhorar a qualidade de vida do paciente.

A psicoterapia aliada à utilização do neurofeedback (métodos de monitoramento da atividade cerebral, como o eletroencefalograma) visa promover uma maior regulação das áreas cerebrais relacionadas ao TDAH”.

 

Dr. Mário Guimarães – Fundador da Associação Médicos do Mundo

Em cooperação com Instituto Eu Causo

Mentes de Rua

O projeto mentes de rua tem como objetivo levar as práticas de saúde mental as pessoas em situação de venerabilidade, oferecendo o serviço de atenção integral e visando o bem estar. Como proposta realizamos acolhimento, escuta, orientação e o encaminhamento para as redes de atenção especializadas.

O grupo é composto por uma equipe multidisciplinar como psicólogos, psiquiatras, Ats e músicos terapeutas. Esses serviços são oferecidos a pessoas em situação de rua, abrange atendimentos em grupos e individuais com crianças, adultos e idosos.