Toda relação humana é uma troca. Aquele que realiza a ação é tão beneficiado quanto aquele que sofre a ação.

De branco. Para trabalhar e fazer o bem a quem precisa!
Médico itajubense lidera ONG que aproxima estudantes de Medicina a pessoas em situação de rua.

A roupa branca que usamos no réveillon é um costume para pedir paz no ano novo.  Na capa da Its’s de janeiro, escolhemos um itajubense que veste branco para trabalhar, mas sua missão como médico vai muito além da rotina e compromissos de trabalho.

Mário Vicente Campos Guimarães formou-se em medicina e especializou-se em neurologia nos Estados Unidos. Desde que voltou da especialização, o médico tem um propósito de vida: levar medicina de qualidade para cidades carentes do Brasil, um trabalho que começa pelas pessoas em situação de rua da cidade de São Paulo.

Até os 14 anos, o itajubense pensava em ser físico ou astrofísico, inspiração que surgiu das revistas de fomento científico que sua mãe assinava. “Soube através de minha mãe que, para ser neurologista ou neurocirurgião, deveria ser médico. Busquei a medicina apenas como um caminho para alcançar a neurologia, porém durante a faculdade me apaixonei pela medicina como um todo”, conta o médico.

Há 12 anos, Mário mora em São Paulo, cidade onde tem a oportunidade de colocar um de seus propósitos de vida em prática, a ONG Médicos de Rua: “Durante o percurso até a universidade, onde sou professor, percebia diversas pessoas em situação de rua, principalmente ao lado da universidade. Percebi que tanto os alunos quanto os moradores de rua, poderiam ser beneficiados por ações sociais e de saúde”.

A ONG atende pessoas que vivem nas ruas de São Paulo através de um atendimento humanizado que é realizado pelo Dr. Mário e seus alunos, um projeto que ajuda tanto os alunos como os beneficiados da ONG: “Percebo que meus alunos se tornam mais humanos, acolhedores, confiantes e conectados à realidade após tais ações. Além disso, percebo um refinamento técnico e científico dos mesmos”, afirma.

Alguns itajubenses já procuraram o Dr. Mário para tentar colocar o projeto em prática em Itajubá: “Tenho recebido convites e propostas de todo o Brasil e de vários países em todo mundo. Itajubá não ficará de fora. Ilustres itajubenses já fizeram contato e acredito que, durante o ano de 2018, será possível implantar o projeto aqui em nossa cidade”.

Mário é do tipo que “faz acontecer”: “Não devemos esperar que o governo, estado ou qualquer outra instituição realizem algo para a sociedade ou comunidade. Temos que sair de nossa zona de conforto, tomar as rédeas da sociedade e, com iniciativa, inovar, criar, ajudar, enfim, fazer a diferença em nosso meio”.

Antes de finalizar a entrevista, pedimos que o itajubense deixasse um recado àqueles que também gostariam de fazer a diferença em 2018. Ele, gentilmente, nos presenteou com uma bela mensagem: “Cultive grandes sonhos e nobres objetivos. Persista, tenha atitude e não espere o retorno, pois ele virá de qualquer forma. Devemos acreditar mais em nossos sonhos e nos arriscarmos um pouco mais”, finaliza.

FONTE: Itajubá.com.br

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *